Marketing de Conteúdo – O que eu vi no RD Summit

Estamos na era do marketing de experiência. Falamos muito em proporcionar um excelente atendimento ao cliente, em realizar eventos memoráveis, em trazer soluções inovadoras e que encantem. Eu gosto muito de falar de sensibilidade.

Tanto aquela sensibilidade que nos leva a um grau maior de empatia, de se colocar no lugar do outro, de buscar entender realmente suas necessidades, quanto a sensibilidade que nos leva a sermos criativos, produzindo conteúdos para tocar a alma das pessoas. Não é isso, afinal, que humaniza as marcas? Pessoas falando com pessoas, e pessoas procurando resolver os problemas das pessoas.

Nesta edição do RD Summit diferentes palestrantes abordaram a importância de criar conteúdos que gerem vínculos. Essa é a regra para o engajamento. Seu prospect ou cliente quer conteúdo interessante, quer aprender algo, quer entretenimento, ou quer ouvir histórias inspiradoras. Ele não quer propaganda.

Como fazer isso? Vamos a algumas dicas:

– Perguntas a se fazer: Com quem você quer falar? Quais são as ‘dores’ dessas pessoas? Que benefício você pode oferecer a elas? O que você pode ensinar? Gratuitamente! “Dê algo antes de receber“, reforçou Robert Cialdini, falando sobre persuasão e sobre construir autoridade – as pessoas buscam por especialistas.

Marketing agora é “conversa”. Você conversa com as pessoas, você troca ideias, você escuta, você aprende com elas o tempo todo. E estar atento a esses “feedbacks” pode fazer toda a diferença para ir acertando em cheio na comunicação com os clientes dia após dia e construindo relacionamento. “Saber fazer perguntas é a chave para entender o cliente”, essa dica foi do Marcelo Tas, anote aí também.

– Conte histórias. “O cérebro aprende com narrativas, histórias são a zona de conforto do cérebro”, disse Rafael Rez, que abordou sobre neurostorytelling. A força da história cria contextos. E vale lembrar: o herói da história é o cliente, não o seu produto!

– Em quais mídias você pode disponibilizar esses conteúdos? (Vale lembrar que cada canal de comunicação tem sua linguagem própria). Onde é que seu cliente está?

– Fique atento a cada “etapa do funil”, ou, a cada objetivo de comunicação. É assim: Quando você vende algo que seu cliente nem sabe que precisa, você precisa primeiro educá-lo para o consumo. Essa é uma mensagem a ser compartilhada, é o início da conversa, ou seja, você precisa chamar a atenção para aquela necessidade que talvez ele nem saiba que tem. Se o seu cliente já sabe o que procura, talvez ainda precise entender melhor antes de tomar uma decisão, então ele está em outra etapa do “funil” e precisa receber outro tipo de conteúdo. Se ele sabe do que precisa e já tem interesse no produto ou serviço, agora ele precisa te encontrar (essa é outra mensagem). Se ele já comprou de você, o relacionamento precisa ser contínuo, logo, produza outro tipo de conteúdo para esse público. E para que haja interesse em continuar visitando suas páginas na internet, você precisa, adivinha? Produzir conteúdos relevantes. 

– Abuso dos Gatilhos Mentais: O uso exacerbado de gatilhos mentais foi criticado por diferentes palestrantes durante o evento, assim como textos muito persuasivos. A questão é: Vai com calma e com bom senso. Alguns macetes que davam certo antes, já estão muitooo chatos. As pessoas estão cansadas de receber o mesmo tipo de e-mail marketing, o mesmo tipo de mensagem das equipes comerciais, logo, essas estratégias vão perdendo a eficácia. 

– E por falar em e-mail marketing: ele continua importante, porque as pessoas ainda acessam e-mails. Geralmente, todos os dias. Então, vale investir nisso por mais um tempo, se houver conteúdo interessante que o Público – cliente no centro, lembra? – queira receber. Dicas? Quatro palavras no título podem ser mais eficazes e gerar mais engajamento do que sete. Quando o assunto é design, capricho continua sendo importante, mas os layouts de e-mail mkt estão diminuindo, isto é, sendo usados mais como cabeçalhos, enquanto os textos dos e-mails se tornam mais personalizados, de acordo com a segmentação de público e aquilo que é relevante para ELE. Ok?

Pronto para começar a ter resultados com marketing de conteúdo?

Então, escancare a sua sensibilidade 😉

** As palestras são simultâneas, então, vivemos aquele conflito de torcer para ter escolhido opções mais interessantes do que as que estão ocorrendo nas salas ao lado, hehe. Ao todo, foram 150 palestrantes convidados. Estive no evento pela Praxis Business, que oferece soluções de Consultoria e Educação Corporativa para o Franchising & Varejo. Espero que essas dicas também ajudem você.

Marilia Saveri é sócia-gestora da Praxis Business